13/08/2013

O falso e o verdadeiro na questão do amianto

Este mês saiu no veículo Diário do Comércio uma entrevista com a Marina Júlia de Aquino, presidente executiva do Instituto Brasileiro do Crisotila (IBC), comentando sobre a declaração do presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Distribuidores de Produtos de Fibrocimento, confira na íntegra:

 Em recente entrevista, tratando da questão do projeto de lei em discussão na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) sobre o uso do amianto, o presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Distribuidores de Produtos de Fibrocimento (ABIFibro), João Carlos Duarte Paes, declarou que os produtos feitos a partir de poli álcool vinílico (PVA) e polipropileno (PP), são mais seguros, ecológicos e de fácil descarte.

Vamos por partes, ao mesmo tempo buscando entender por que alguém, que há poucos anos defendia o amianto, de uma hora para outra mudou de ideia.

Primeiro, a questão de segurança, que, no caso, significa segurança à saúde. Como pode uma fibra derivada do petróleo oferecer segurança, principalmente para quem trabalha diretamente com ela? Há tempos, os trabalhadores desse setor reivindicam a mesma fiscalização que se faz nas fábricas que usam fibras de amianto crisotila. Porém, nenhuma providência foi jamais tomada, apesar de a Organização Mundial de Saúde (OMS) já ter afirmado, publicamente, que as fibras sintéticas oferecem risco indeterminado, ou seja, podem ser até piores.

Sendo mais claros: as fibras de PVA e PP, quando analisadas, apresentaram alto nível de biopersistência e toxicidade. O que é isso? Ao serem respiradas, essas fibras permanecem por muito tempo no organismo humano, causando danos de consequências ainda indefinidas à saúde. Ao contrário, inúmeros estudos realizados nas fibras de amianto permitiram às autoridades estabelecer critérios rígidos e uma lei para regular a atividade desde a mineração, o transporte e a fabricação. Em outras palavras, não há mistérios quando se fala de amianto crisotila.

Com relação à questão do meio ambiente, chamar as telhas de PP e PVA de “ecológicas” é propaganda enganosa. O mesmo que dizer que o plástico faz bem à natureza. Como todos sabem, um pedaço de plástico esquecido no chão demora até 450 anos sem se decompor. Um pedaço de borracha fica por tempo indeterminado. E de que são feitos esses produtos? A resposta, o presidente da ABIfibro sabe muito bem, mas ele prefere usar a palavra “reciclagem” como se fosse um passe de mágica para resolver o que fazer com esses produtos. Tenha paciência, a natureza não faz mágica.

Quanto à telha de amianto crisotila, ele precisava informar que sua composição reúne, exclusivamente, cimento, calcário, celulose e o próprio amianto, todos eles 100% provenientes da natureza e tratados com o cuidado que cada um exige. A mesma coisa, por exemplo, como trabalhar com sílica (areia, na indústria de vidro), algodão (na indústria têxtil), serragem de madeira, o próprio cimento e por aí vai. Todos esses materiais provocam algum tipo de problema à saúde se manipulados de forma inadequada. Para isso é que existem os controles, e no caso do crisotila ainda existe um acordo firmado entre trabalhadores e empresas desde 1989 para garantir o uso seguro.

Logo, é estranho quando uma pessoa que dedicou a maior parte de sua vida profissional à mineradora de amianto crisotila no Brasil e foi, até meados de 2000, um dos mais aguerridos defensores desse mineral no país e no mundo, de súbito se transforma em empedernido propagandista das fibras sintéticas.

Em março de 1992, como presidente da então Associação Brasileira do Amianto (Abra), João Carlos comemorou a decisão do Tribunal de Apelação dos Estados Unidos anulando uma tentativa de proibição do uso do amianto em território norte-americano. “Todo o processo foi acompanhado por nós com grande interesse. Temos na Abra uma enorme bibliografia com pareceres dos mais importantes especialistas do mundo sobre o assunto e todos demonstram que uma proibição seria absurda”, foram estas suas palavras em declarações à imprensa naquela ocasião. Está tudo muito bem registrado. E disse mais, reconhecendo que o Brasil possui uma das mais avançadas legislações sobre o uso do amianto, baseadas na Convenção 162 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que trata do uso seguro, ratificada pelo governo e normatizada através de Portaria do Ministério do Trabalho. Não devemos esquecer que João Carlos chegou a ser agraciado com o título de Cidadão de Minaçu, a cidade onde está localizada a única mina de amianto crisotila em atividade no Brasil e terceira maior do mundo.

O que houve desde então para ostentar o título de presidente de uma associação que, a julgar pelos seus registros, representa um único fabricante de telhas, sendo essa mesma empresa a dona da indústria de fibras sintéticas, só ele pode dizer. As declarações e ações do presidente desta associação aparentam que a finalidade principal da associação é conseguir a proibição do amianto. Se o produto dito “substituto” é tão bom, porque investir nessa “obsessão” para proibir o amianto ao invés de promover o seu produto no mercado?

Por fim, resta informar que o Instituto Brasileiro do Crisotila (IBC) reúne todas as oito empresas de fibrocimento com amianto crisotila, todos os trabalhadores do segmento, através de seus sindicatos e o governo (federal, estadual e municipal), sendo, portanto, legítima porta-voz do setor e para o qual desenvolve ações com vistas à saúde e segurança de todos envolvidos no processo produtivo do amianto crisotila. De portas abertas para receber qualquer pessoa que queira conhecer a atual realidade do amianto, o IBC não poupa esforços para garantir tranquilidade ao trabalhador e suas famílias, que o digam os trabalhadores de Pedro Leopoldo e milhares de outros em atividade na mina, em fábricas e no comércio.


Click e compartilhe


14/11/2012

Como limpar o telhado?

Com o passar dos anos, inúmeras casas ficam com o aspecto envelhecido e a sujeira que o telhado pode acumular é um dos motivos desta aparência. Alguns proprietários acreditam que a única solução é trocar o material, mas investir numa boa limpeza faz toda a diferença.

Dar vida nova a casa é um dos principais objetivos da limpeza dos telhados. A verdade é que com o tempo sua cobertura acumula pó, o que ocasiona o aparecimento de musgos e fungos, mas não é necessário trocar as telhas, uma boa lavagem deixa o telhado limpo e bonito novamente.

A limpeza deve ser com água corrente ou jateamento de água com baixa pressão, juntamente de uma esponja ou pano macio. Atenção nunca use escova de aço, pois este material pode danificar a superfície da telha. Para intensificar a higienização da cobertura, pode-se utilizar a aplicação de água sanitária, na proporção 2% do volume de água a ser utilizado.

Sempre use tábuas apoiadas sobre as terças para não pisar diretamente sobre as telhas. Se o telhado for muito inclinado, amarre tábuas para evitar deslizamento e pregue pequenos sarrafos a cada40 cmpara servirem como degraus de escada. O tempo para finalizar o trabalho depende do tamanho do telhado e da quantidade de sujeira.

É indicado que entre em contato com um profissional especializado neste serviço. Não se esqueça de que, para evitar acidentes, é extremamente importante o uso de equipamento de segurança como cintos e cordas.


Click e compartilhe


26/01/2012

Cobertura Termoacústica

Telha Sanduiche Alta

Telha Sanduíche

A Eternit possui em seu portfólio dois modelos de telhas para cobertura termoacústica, a telha Sanduíche, composta de duas telhas metálicas com miolo em EPS (Poliestireno Expandido), ampla opção de cores e disponibilizada em formato ondulado e trapézoidal, e a telha forro , composta por uma  telha trapezoidal com 40mm de altura, sobreposta por um miolo de PU (Poliuretano), com acabamento inferior de película de PVC texturizada na cor branca, isentando a necessidade de forro complementar.

A acústica da construção se dá por meio da aplicação de forros específicos para cada necessidade, exceto na telha metálica, quando em muitos casos, a incidência de chuva sobre a telha provoca ruídos inconvenientes para ambientes de longa permanência.

No caso de Isolamento Térmico, a Eternit trabalha com a manta de Subcobertura FreshFoil (manta de alumínio), que impede a entrada de calor no verão e minimiza a saída no inverno, proporcionando maior conforto térmico e economia de energia com ar condicionado, além ter mais garantia contra vazamentos, mesmo com chuvas de vento.

A garantia e longevidade da cobertura se dá pela disciplina na sua instalação. Deve ser seguido fielmente as recomendações do fabricante no que se referem à: Inclinação Mínima, Vãos Máximos entre apoios, manuseio e armazenamento correto e quantidade de fixações de acordo com cada necessidade.

Lembrando que é sempre importante a contratação de uma mão de obra qualificada.


Click e compartilhe


24/11/2011

Luz natural dentro de casa

Bih cristal

Se você está procurando maneiras de conseguir uma iluminação natural em determinados ambientes e economizar energia elétrica, a Telha Big Cristal e a  Telha Coppo Veneto Cristal são ótimas soluções.

Fabricadas com acrílico de alta resistência, o que garante a qualidade e durabilidade do produto, as telhas translúcidas da Eternit deixam sua obra muito mais bonita e moderna, além de contribuir com o meio ambiente por meio de uma construção ecológica.

Este tipo de cobertura proporciona diversos benefícios a sua construção como:

* Iluminação natural dentro de casa;

* Claridade natural na laje e na região da caixa d’água;

* Evita insetos, cupins e morcegos no telhado;

* Luz na varanda, churrasqueira e lavanderia.


Click e compartilhe


18/11/2011

Características básicas da Telha Ondulada

CASA_ONDULADA_FINAL

A telha Ondulada é um produto Eternit de grande versatilidade para coberturas e fechamentos laterais em obras de qualquer porte.

Vence grandes áreas de telhado com rapidez de montagem e fixação, exigindo, ainda, estrutura de apoio simplificada. É econômica, resistente e durável, oferecendo uma variada gama de peças complementares que preenchem as exigências de arquitetos, projetistas e construtores.

Até chegarem às suas mãos, as telhas Eternit passam por um rigoroso controle de qualidade, no qual são testadas e aprovadas.

A telha de fibrocimento Ondulada adapta-se perfeitamente a todos os tipos de cobertura, oferecendo um resultado sempre harmonioso. Com uma gama variada de peças complementares, pode ser usada em diversas situações, reduzindo o custo da construção.

Este produto atende a Norma Brasileira ABNT NBR 15210.

Fixação

A fixação da telha pode ser realizada com parafusos ou ganchos com rosca e vedação com arruelas, e buchas na 2ª e na 5ª onda.

Aplicação

A telha Ondulada pode ser empregada tanto em coberturas como em fechamentos laterais. Considera-se fechamento lateral a telha Ondulada colocada com inclinação acima de 75°.


Click e compartilhe